home    work    mail
Pesquisa interna

Gatos


O seu corpo perfeitamente adaptado à vida e à caça num mundo tridimensional dá-lhe elegância.

O exemplo de paciência e capacidade de observação confere-lhe uma aurea de mistério.

A sua obsessão pela limpeza (cerca de 30% do tempo em que está acordado é gasto a tratar de higiene), a sua independência e dorminhoquice (os gatos dormem cerca de duas vezes mais que qualquer outro mamífero) facilita a sua convivência com a vida agitada do tempos modernos dos humanos.


No entanto, a sua curiosidade natural pode conduzir a situações perigosas. Através da prevenção de doenças e acidentes, bem como da vacinação e desparasitação os riscos podem ser reduzidos consideravelmente.

Longe que pretendermos ser exaustivos vamos aqui abordar não só alguns dos problemas de saúde que mais frequentemente afectam os gatos e as respectivas medidas preventivas e/ou curativas mas sobretudo alertar para alguns sinais que podem revelar a necessidade de intervenção imediata de um veterinário.

Com um diagnóstico precoce o tratamento será mais fácil e eficaz.




1 -Examinar o gato

Habitue o seu gato a ser observado fazendo-lhe alguns exames em casa. Não só alguns problemas poderão ser detectados mais cedo como também facilitará o trabalho ao veterinário que fará o diagnóstico a um animal habituado a ser examinado.

Verifique com frequência os olhos, ouvidos, boca, corpo, pele e pelagem. O aspecto geral do gato é um bom indicador do seu estado de saúde e nutrição.

Deve também pesar o gato com frequência. Uma técnica é pesar-se com o gato ao colo e depois só. Da diferença de pesos resulta o peso do gato. No entanto a balança deve estar bem aferida porque uma diferença no peso do gato de 300 g pode representar uma variação de 10 % no seu peso o que tem impacto na sua saúde.

A temperatura de um gato varia entre 38ºC e 39ºC. A excitação nervosa ou o medo podem fazê-la subir. Para medir a temperatura lubrifique a sonda do termómetro com vaselina e introduza no recto até 2,5 cm de profundidade. Nunca tire a temperatura aos gatos na boca pois eles não gostam.

Significado da temperatura nos gatos

ºC
Causas e medidas a tomar
+41Ataque cardiaco. Arrefecer e levar ao veterinário
40,6Perigo. Vá ao veterinário nesse dia
40,0Febre alta. Vá ao veterinário nesse dia
39,4Febre moderada. Telefone ao veterinário. Peça conselho
38,9Normal
37,8Normal
37,2Abaixo do normal. Vá ao veterinário nesse dia
-36,7Hipotermia. Mantenha o seu gato quente e leve-o ao veterinário imediatamente.



Qualquer dos sintomas a seguir indicados exigem uma visita imediata ao veterinário.

- Dificuldade em levantar-se, deitar-se ou sentir confortável;

- Cambalear, tombar ou andar à volta;

- Reacção exagerada à luz, ao som ou ao toque;

- Inclinar a cabeça para um lado;

- Agitação inexplicável;

- Ventre inchado;

- Movimentos invulgares do tórax;

- Espasmos musculares;

- Qualquer inchaço grande;

- Vocalização intensa como choro, gemidos, lamentos.




2 -Prevenção

a) Vacinação

São recomendadas as seguintes vacinas:

- Enterite dos felinos ou panleucopenia felina (às oite semanas com o primeiro reforço aos 15 meses e depois de três em três anos)

- Gripe dos gatos ou contra o vírus da rinotraquetite feline (às oito semanas com o primeiro reforço aos 15 meses e depois todos os anos)

- Raiva (a partir das 12 semanas com reforços de dois em dois anos)

Existem igualmente disponíveis outras vacinas como contra a Clamídia felina e contra o vírus da leucemia felina.

b) Alergias

É de toda a conveniência vigiar o gato após a administração de injectáveis, como é o caso das vacinas, a fim de despistar qualquer alergia. Embora não seja frequente os gatos podem desenvolver alergias a medicamentos ou alimentos com consequências que podem ser graves.

c) Locais de risco

A curiosidade e destreza dos gatos fazem com que frequentemente passeiem em locais de risco. Compete aos donos limitar esses passeios e torna-los mais seguros. Um exemplo clássico são as quedas das janelas dos apartamentos. Sabe-se que essa queda geralmente acontece quando o gato, já na parte exterior do parapeito quer dar a volta para regressar ao interior. Assim além da óbvia, mas restritiva, solução de manter a janela fechada pode-se abrir as duas folhas da janela permitindo que o gato saía por uma e entre pela outra abertura.

d) Parasitas


Para desparasitar o seu gato use produtos eficazes e licenciados. Também este cuidado é uma obrigação dos donos do animal que contribui não só para a sua saúde mas também para a saúde da família em geral.


- Parasitas internos: Lombrigas, Ténia, Giardia, Toxoplasmose (as grávidas e os indivíduos imunodificientes correm maior risco de contaminação. Um feto humano contaminado pode desenvolver problemas graves. As grávidas devem abster-se de lavar o tabuleiro do gato e comer os alimentos muito bem processados) e parasita do coração (prevalência rara).




- Parasitas externos: Pulgas, Ácaros, Carraças, Piolhos e Tinha (embora tecnicamente não seja um parasita - é causada por um fungo - manifesta-se na pele e pelagem e é transmissível a outros animais incluindo o homem)

Atenção: os produtos usados para combater as pulgas dos cães podem ser tóxicos para os gatos. Estes produtos são a causa mais comum de acidentes de envenenamento de gatos. Esteja atento ao rotulo da embalagem e em caso de dúvidas sobre estes ou outros produtos veterinários consulte o seu veterinário ou farmacêutico.


Por exemplo a Bayer e a Merial também disponibilizam nos seu sites informação relevante sobre este assunto.



3 - Administrar medicamentos


a) Comprimidos

Pode ser extremamente difícil das a um gato medicamentos por via oral. No entanto, leve sempre os tratamentos até ao fim.

- Fale com o gato num tom amigável e depois segure-o com firmeza.
- Após abrir-lhe a boca deixe cair o comprimido o mais fundo possível.
- Feche-lhe imediatamente a boca e massage a garganta até ele engolir.
- Abra-lhe de novo a boca e veja se ele engoliu o comprimido. Os gatos são óptimos a escondê-los.

Em alternativa pode prepara uma seringa com agua e após a introdução do comprimido deitar pequenas quantidades de agua dentro da boca. Isto provocará o reflexo da deglutição.

Pode ainda tentar esconder o comprimido em algo saboroso.

Poderá visualizar aqui como administrar um comprimido a um gato.

b) Gotas e pomadas oftálmicas

- Ponha o gato em cima de uma mesa e fale-lhe num tom calmo.

- Com um pedaço de algodão humedecido retire com cuidade qualquer corrimento do olho.

- Encoste a mão que segura o tubo de pomada ou colírio à cabeça do gato para que não toquem no olho no caso de um movimento repentino. O frasco ou o tubo NUNCA devem entrar em contacto com o olho.

- Aplique a pomada ou a gota no olho do gato. Feche-o para que o calor disperse o medicamento. Se segurar o frasco ou o tubo nas suas mãos durante algum tempo antes de aplicar o medicamento fará subir a sua temperatura o que torna mais fácil a aplicação.

- Elogie o seu gato.


c) Injecções

Dar uma injecção parece difícil mas é bastante simple e em certos casos mais fácil do que administrar medicamentos por via oral.

- Encha a seringa com o medicamento,

- Dê uma pancadinhas na seringa até a bolhas de ar subirem e depois expulse-as até saír da agulha a primeira gota de medicamento.

- Segure o gato em cima de uma mesa e enquanto fala com ele em tom calmo agarre numa prega de pele do pescoço entre as omoplatas. (esta zona é relativamente insensível)

- Com a mão firme insira a agulha nessa prega perfurando o tecido sob a pele e acima do músculo que existe por baixo, depois deixe saír o conteúdo da seringa.

- Elogie o seu gato e dê-lhe uma recompensa.



Bibliografia:

"Manual Completo Gato Cuidados, Saúde e Relacionamento" - Folge, Bruce - DK Civilização Editora

Modelo fotográfico: Nero
Copyright © 2007 Farmácia Marques - Todos os direitos reservados - Powered by LV Engine